Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

Vais a Machu Picchu?

No topo de Huayna Picchu

É preciso comprar bilhetes para Machu-Picchu?
Sim, convém ter bilhetes para Machu-Picchu. Os bilhetes para o parque, pode comprar à entrada. Contudo, se quer subir às montanhas, compre os bilhetes antes. Dentro do recinto há duas montanhas, a Machu Picchu e Huayna Picchu. A segunda, mais baixa, é a mais popular e é de onde muitas das fotos mais conhecidas são tiradas. A outra é mais alta. Porém, para ambas é necessário comprar bilhetes para subir ao topo e a compra tem mesmo que ser feito com antecedência - eu, com dois meses de antecedência, só consegui bilhetes para a Huyana.
Consultar todas as informações AQUI - aliás é através deste site que os bilhetes devem ser comprados, pois é a web oficial.

Caminho até Aguas Calientes

 

Como chegar a Aguas Calientes?
Para chegar a Machu Picchu é necessário passar por Aguas Calientes. A cidade vive para e em função de Machu Picchu e tem várias opções para quem quiser passar uma noite lá, com uma grande variedade de preços. Para chegar a Aguas Calientes há duas opções:

  1. Comboio: A viagem é mais cara para estrangeiros que para locais e os comboios são limitados a dois serviços por dia - é intencional, para evitar o fluxo de turistas.
  2. Caminhando desde a Hidroeletrica. Há vários autocarros e serviços de agências que deixam e recorrem os visitantes de Cuzco até à Hidroelectrica. Depois é literalmente caminhar, seguindo os trilhos do comboio até chegar a Águas Calientes.
    Foi o que eu fiz - e recomendo! A caminhada vale a pena, é toda pela montanha, pela linha de comboio e a paisagem é simplesmente deslumbrante! E o caminho, num passo lento e relaxado, faz-se em cerca de três horas - muito importante, a partir das seis da tarde escurece. E no Peru não há lusco fusco, simplesmente fica noite... just in case, é melhor uma lanterna.
  3. O caminho inca, que tem que ser reservado com antecedência e é limitado a um número restrito de viajantes.


    Como chegar a Machu Picchu?
    Novamente há duas opções. Pode-se ir a pé ou de autocarro. O autocarro dispõe de várias opções (só para subir, só para descer e ambos) e paga-se em dólares, cerca de 80 dólares a ida e volta - podem comprar os bilhetes lá ou comprar os bilhetes para Machu Picchu antecipadamente online. Há-os a várias horas.
    Eu fui de autocarro, porque queria estar no parque antes das 7h da manhã e como ia subir a montanha, não queria cansar-me desnecessariamente. Além disso, um amigo avisou-me que nem o caminho era interessante e que como são tantas as camionetas e carros, a subida a pé, além de dura, é um verdadeiro come-pó. Confirmo, porque depois desci a pé.


    Ter ou não ter um guia em Machu Picchu?
    Há entrada, há vários guias disponíveis que podem ser contratados na hora. Dentro do parque, ouvi um guia dizer que o sítio X eram as casas-de-banho! Mentira, as casas-de-banho não eram dentro das casas. Não digo que todos são charlatães, é óbvio, mas fiquei desconfiada...
    Isso não sgnifica que Machu Picchu não mereça ser visto sem qualquer tipo de orientação. Pelo contrário! Não há mapas, as placas são poucas e a informação mínima.
    Eu tinha comigo o livro "The Machu Picchu Guidebook: A Self-Guided Tour" de Ruth M. Wrigh. Acho que não há em português, mas recomendo. O livro explica bastante bem todos os espaços e funcionalidades. 


Vista de Machu Picchu


Amanhecer em Machu Picchu
Sim, vale a pena! É qualquer coisa de mágico, como se o sol empurrasse as nuvens e iluminasse todo o local. Claramente, os senhores Incas sabiam de paisagismo, o que faz de Machu Picchu um local perfeito.

 

 

Machu Picchu

Em Machu Picchu
Não há limite de tempo, pode-se chegar e ficar o dia inteiro. Pode-se levar comida e passar um dia bastante agradável a explorar o espaço, sem pressas e evitar os atropelos dos turistas. Depois do meio-dia, o parque fica bem mais calmo e com menos gente. Leve um livro, relaxe! Leve também uns snacks. A mim, até me deu para dormir uma sesta!


O que levar para Machu Picchu?
Roupa confortável e ligeira, pois quando o sol abre faz calor. Chapéu e protector solar recomendam-se. Assim como água e comida. E máquina fotográfica, mesmo os que não sejam aficionados de fotografia, Machu Picchu é um daqueles locais incríveis que não dá para parar de fotografar. E é tão perfeito, que não há fotos feias.

Sim, há lamas em Machu Picchu!

Quanto tempo em Machu Picchu?
Bem, isso depende de cada um! Uma manhã/ tarde é suficiente e dá para ver tudo. Muita gente chega pela manhã e vai-se embora ao fim do dia. 

Eu fiquei duas noites, porque queria estar relaxada, ver tudo com calma e, sobretudo, assegurar que entrava em Machu Picchu antes de amanhecer (antes das sete). E valeu bem a pena. 


E a altitude?
A altitude em Machu Picchu é tramada! Sobretudo nas subidas. Por isso, recomendo uns dias em Cuzco (que vale MUITO a pena conhecer), para o corpo se habituar. Cada corpo é um corpo e quando ele se cansa, basta abrandar e aceitar as limitações. Não tem nada a ver com condição física. Vi idosos em Machu Picchu bem de saúde, enquanto eu andava toda asmática! E mais do que chá de coca, dizem que a aspira ajuda.


Quanto custa?
Visitar Machu Picchu custa 128 soles (cerca de 42 euros).
Machu Picchu + Wayna Picchu custa 152 soles.
Machu Picchu + Machu Picchu Mountain custa 142 soles.

Os bilhetes para Machu Picchu podem ser comprados no dia, à porta do parque, mas eu não arriscaria e compraria com antecedência. Já o bilhete para subir as montanhas tem MESMO que ser comprado com antecedência - como eu disse antes, eu já não encontrei bilhetes para subir à Wayna Picchu. Os bilhetes não podem ser comprados em agências normais e cuidado com alguns sites. O melhor mesmo é comprá-los no site oficial, gerido pelo governo peruano (aqui). E atenção, porque os preços para estrangeiros diferem dos preços dos peruanos.

Quanto ao comboio, deixo AQUI o site para quem quiser se informar.

 

A sério visitar Machu Picchu, vale a pena, é uma ultra-maravilha e um local com uma magia e energia única. Mesmo não sendo mais habitada e com casas destruídas, é claramente uma cidade! As casas, assim como os campos agrícolas ou os espaços de culto (santuário, assim como a casa dos funerais) são facilmente reconhecíveis e tudo tem uma lógica impressionante. E uma cidade construída no século XV com um incrível sentido paisagístico e arquitectónico. 
E, claro, a natureza, a vista... os Incas sabiam o que faziam!

 

4 comentários

Comentar post