Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

A sério, que Europa é esta?

20.09.18

mw-860.jpeg

Foto de ARIS MESSINIS/ GETTY IMAGES

Convido-vos a todos a ler este artigo do Expresso, sobre o campo refugiados de Moria, na ilha de Lesbos, na Grécia. Se por alguma razão não querem/conseguem o que seja ter, aqui ficam uns excertos?

 

"Um quarto das crianças, entre os seis e 18 anos, assistidas pelos Médicos Sem Fronteiras na ilha de Lesbos, na Grécia, já se automutilou, tentou o suicídio ou pensou em fazê-lo."

 

"Onde no máximo poderiam viver (sobreviver) 3100 pessoas, estão mais de nove mil."

 

"18 das 74 crianças atendidas já se tinham mutilado, tentado o suicídio ou pensado em cometer suicídio. As outras crianças atendidas sofrem de mudez voluntária, ataques de pânico, ansiedade, ataques agressivos e pesadelos"

 

"Entre as mais de nove mil pessoas em Moria, cerca de um terço são mulheres ou crianças."

 

Um outro artigo do Expresso relata histórias de crianças de 4 e 5 anos que são violadas! A sério que isto é Europa? A sério que os governos podem continuar todos a empurrar responsabilidades e que não há ninguém capaz de actuar de forma efectiva?

Até quando?

E o futuro: deles e nosso, como vai ser? 

Parem o mundo que eu quero sair

07.06.17

 

Captura de ecrã 2017-06-07, às 16.57.59.png

 

Eu juro que tento ser uma pessoa positiva. Sempre que começa o discurso do drama e o horror, eu vou sempre aos exemplos do Holocausto, da escravidão; da Idade Média e da perseguição religiosa ou aos direitos das mulheres para mostrar que melhoramos, nem que seja bocadinho. Atenção, não vivo num outro planeta. Continuam a existir genocídios neste globo. E nem a escravidão, nem o tráfico de seres humanos tem fim à vista. Ainda assim, gosto de pensar que estamos a melhorar um bocadinho e, gosto de acreditar, que aos poucos vamos (suspiro).

 

E depois, vejo merdas (pardon-my-franch) como ESTA! Gente que acha que vai resgatar a Europa (segurem-me) bloqueando barcos que resgatam imigrantes no Mediterrâneo. Isto, porque resgatar a Europa (opa-segurem-me!) signifca não socorrer pessoas. Pessoas. Gente. Seres humanos.

Isto até seria piada, se fossem três idiotas (obviamente brancos) num barco de borracha. Mas não, nada disso! São gente com barcos a sério, com campanha a sério e que já angariaram mais de 50 mil euros - ou pelo menos é o que dizem!

Só em 2016, mais de 5 mil pessoas naufragaram  e morreram (Pessoas. Gente. Seres humanos. Bebés. Crianças. Jovens. Mulheres, Homens.) quando tentavam chegar à Europa de barco; mas para estes idiotas este número é pequeno e giro mesmo, é aumentá-lo! Epa: fodam-se! Ou prendam-nos!

 

 

 

Ai Europa, assim não! As crianças de Calais

28.10.16

calais_refugiados.jpg

 

Para quem não sabe, o campo de refugiados de Calais no norte de França ardeu esta semana. Aquilo nem de “campo” deveria ser chamado! Sujo, com piolhos, doença,… Incrível pensar que a Europa dos Direitos Humanos e da Igualdade, Fraternidade e Liberdade, chamava àquilo campo de refugiados e sem pudor, “mandava” seres humanos para ali, enquanto governantes europeus, cheios de inércia e pouca boa vontade, continuam sem decidir que rumo dar a estas vidas! Vidas em suspenso e com as quais a Europa terá muitas contas a ajustar no futuro.

 

O incêndio foi provocado por refugiados, como protesto. Nem vale a pensa argumentar, pois as fotos do estado em que viviam são bem demonstrativas e, a meu ver, justificativas!

 

Se o Reino Unido se apressou a controlar fronteiras, França começou (finalmente) a transportar os mais de 5 mil refugiados que aqui "viviam", para outros centros do país. Digo “finalmente”, porque custa-me pensar que possam existir em França mais campos como o de Calais!

 

Pelo meio, ficam sempre os mais frágeis e desprotegidos, isto é: as crianças!

As autoridades francesas dizem estar tudo controlado! Organizações do terreno falaram em cem crianças a dormir na rua, abandonadas à própria sorte. Depois, falaram-se em 200! A sério que está tudo controlado? E agora a Unicef vai mas longe e acusa as autoridades em França, de rejeitar crianças, deixando-as a dormir ao frio - estamos em Outubro e no norte de França, note-se! Alguns voluntários contaram historias de crianças a ser afastadas pela policia, porque não tinham pulseira de identificação!

Se viver em Calais, já é algo bem distante daquilo que deve ser a vida de uma criança, imaginem agora o que é este abandono! Não há números certos, mas as autoridades falam em centenas de crianças refugiadas desaparecidas - onde estão elas? Fala-de de abusos, exploração infantil, tráfico de crianças, escravatura e prostituição infantil,...

Ainda esta semana, a Inditex, a empresa-mãe de marcas como a Zara, a Mango ou a Bershka, foi acusada de ter crianças a trabalhar nas suas fabricas - e não me venham cá com a história que são empresas subcontratadas e que a marca não sabia de nada! Se não sabe, que se informe correctamente e que faça por mudar!

 

Caramba! Que raiva que isto me dá!