Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

O que veem os míopes

mm.jpg

 

Uso óculos desde que tenho 3 anos. Nas minhas fotos é como se houvesse um desfilar de imagens minhas bebé e depois, tumbas, lá veem um sem fim de fotografias sempre com óculos. Sou míope, com quase oito, em cada olho.

E desculpme-me, mas usar óculos é uma merda.

É tudo muito giro quando se tem poucas dioptrias e há óculos bonitos, mas quando têm de usar lentes grossas, quando até as lentes mais caras e especiais, porque são mais magrinhas, não encaixam bem numa armação usar óculos é uma caca. E das caras.

Lembro-me de andar sempre preocupada, porque os óculos eram caros - e eu sempre caí muito. Ainda caio.

Ou de aos 13 anos, não poder participar na final de basquetebol, porque o arbitro não me deixava jogar com óculos.

Ou de anos mais tarde, levar uma nota na caderneta, escrita pela minha professora de Educação Física. Escreveu ela, que fui mal-educada e que me recusei a fazer um exercício - ela queria que eu saltasse no boxe sem os óculos por segurança e ficava frustrada, porque cada vez que chegava perto do bicho, parava - não via.

Usar óculos significava também ter que me sentar sempre à frente na escola.

Ou não usar óculos de sol.

Ainda mais o meu oftalmologista era um chato, que só aos 18 anos me deixou usar lentes - algo que lhe comecei a pedir lá para os 14! Aliás, assim que fiz 18 anos, telefonei-lhe logo a marcar consulta.

E sou tão mais feliz de lentes! Mesmo quando elas vão para trás do olho, há vento ou me ponho a chorar.

 

Por tudo isto, não pude deixar de sorris com este conjunto de obras de Philip Barlow, um artista sul-africano, que pinta o mundo pelos olhos de um míope.

m..jpg

 

m.jpg

 

mll.jpg

 

mmm.jpg

 

4 comentários

Comentar post