Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

"Arrependi-me de ter filhos"

%22Arrependi-me de ter filhos%22.jpg

 

Não sei bem como ou porquê, mas recentemente um post antigo (Alguém por aí já se arrependeu de ter filhos?) ganhou nova vida, com várias mulheres a partilharem as suas histórias e testemunhos.

Mulheres que nunca quiseram ter filhos e que, por pressão, os tiveram e estão, agora, arrependidas. Mulheres com dúvidas. Mulheres que não querem assumidamente ter filhos e que todos os dias lidam com a pressão.

 

Como são testemunhos muito pessoais e um tema delicado - e sobre o qual ninguém fala ou dá a cara! - fiquei muito comovida com alguns comentários. Sobretudo pela tristeza que muitas mulheres carregam, de não poderem falar sobre o tema livremente, por medo de serem julgadas, censuradas e criticadas.

Ainda assim o que mais me surpreendeu em todas, foi a terrível pressão com que têm ou tiveram de lidar, quando dizem/disseram que não queriam filhos! Como se o corpo e a vida não fosse delas. Como se a única coisa que lhes restasse (a elas e às mulheres deste mundo) fosse parir!

Como é que é possível que sobre uma escolha tão pessoal e íntima, haja tanta gente a opinar, a forçar e a ditar juízos?!

E desde quando ter filhos dita se uma pessoa é mais ou menos mulher? Mais ou menos boa pessoa? Mais ou menos feliz? 

E mais ainda: por que é que na hora de não querer ter filhos, a pressão que sentem as mulheres é 238 mil vezes maior do que as dos homens?!