Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

Manual de redes sociais para pais

13.12.16

Holiday+Card+Meme.jpeg

Muita coisa é bom senso puro, outras são mesmo recomendações de quem trabalha na área, com marketing digital e redes sociais! Lembre-se uma vez online, para sempre online - além de que, tudo tem a sua consequência!

 

1. Cuidado com as fotos que publica

Que fotografias? Fotos com a farda do colégio. Fotos à porta de casa. Fotos de crianças nuas e muito mais! Os putos vão crescer, a adolescência é fodida (e os colegas de escola também) e uns anos mais tarde, os vossos filhos vão andar à procura de trabalho e, quem sabe, ser o novo Presidente da República e, aí, aquela fotografia fofinha do menino com os sapatos da mãe ou da menina no bacio, fora do contexto, pode-se converter numa outra coisa e trazer problemas.

 

 

2. “Ah e tal, mas eu só partilho com amigos”

Amigos, amigos, não sejam ingénuos. Mais de metade de vocês, aposto, que não tem nem as definições de segurança ativas no Facebook e mesmo os que têm, sabem que basta um amigo vosso não ter, que logo um outro amigo já poderá aceder às vossas coisas?! E quantos amigos não tem aquele vosso amigo que aceita tudo e todos e já vai nos dois mil amigos, apesar de só conhecer realmente um décimo?!

Quanto ao “ai e tal, eu apaguei!” vamos ver se entendemos uma coisa: uma vez publicado, algo online, para sempre online. Mesmo que apague, se alguém já viu, guardou, comentou, partilhou, etc. Isso, é o suficiente para a coisa ficar eternamente online e viva na Internet.

 

 

3. Uso indevido das (SUAS) fotografias

Além das consequências que essas fotos podem vir a ter na vida dos vossos filhos no futuro, existe outra questão importante e com a qual se deveriam preocupar: o uso indevido das imagens que publica - há muita gente má neste mundo cibernético! Será que acha giro a que alguém use uma foto do seu filho para uma campanha publicitária sem lhe pedir autorização? Ou até em esquemas de dinheiro - ou nunca recebeu aquela mensagem com a criancinha lindinha e muito doente, que ficará curada se partilhar mil vezes o email/notícia ou se conseguir muitos Likes? Há esquemas que vão mais longe e pedem dinheiro - já sei que você é muito esperto e não cai nessa, mas os que sim.

 

 

4. Tem mesmo de dizer onde está e com quem está e a fazer o quê?

mme.jpg

Já nem vou pela parte do “a quem é que isso interessa”?! No entanto, num mundo tão paranóico, onde os putos já não podem ir para a rua brincar, por que raio é que tem de dar toda a informação da sua vida? Diga apenas que está no Algarve de férias ou tem mesmo de tirar uma foto, onde se reconheça a rua e a porta de casa onde está? Obviamente, que roubar a Kardashian em Paris é 87 mil vezes mais interessante e lucrativo, mas pense bem antes de deixar os seus filhos numa situação tão vulnerável!

 

 

5. Crianças de 7 anos não têm maturidade para usar a Internet sozinhos. Nem para ter Facebook. Nem Instagram. Nem…

Comecemos pelo básico e pela lei, estes são serviços para maiores de 12 anos. No entanto, mais do que a idade, seja crítico e pense se o seu filho tem mesmo maturidade para lidar com tanta informação. Já sabemos que a sua criança é melhor e mais esperta do que todas as outras, MAS acha que ele tem mesmo idade para sugar toda a informação que existe online? É que isso implica pornografia, exposição à violência, etc. etc. Se diariamente, nós adultos, já somos expostos a um sem fim de imagens e informação, que mexem connosco, imagine uma criança! Controle ao máximo, use e abuse dos filtros e bloqueios que a Internet lhe dá.

 

6. Vigiar não é proibir

Atenção, não estou de velho de Restelo, onde os putos não podem fazer nada, porque em 1950 é que era e havia respeito. Nada disso! A tecnologia está em todo o lado e faz parte (cada vez mais) da vida. É um facto e, claro, tem 2837 mil coisas boas, sendo espectacular para entreter os miúdos e ter um pouco de paz, certo? E quem diz entreter, diz educar também.

Apenas digo que acompanhe o seu filho nesta fase. Além disso, esta é daquelas coisas em que o velho argumento dos pais encaixa como uma luva, afinal“não é por os outros terem, que tu vais ter” ou “os filhos dos outros não me interessam!”

 

 

7. Respeite a intimidade do seu filho… e deixe-o viver!

Entendo: o puto é seu, os pais é que mandam e ele come e cala. No entanto, lembre-se que a criancinha é também um ser humano com direitos e deveres. E a verdade é que tem direito à sua intimidade, ao seu espaço e a não ver/ter todos os almoços, cocós e notas escolares escarrapachadas numa rede social.

Mais, dê-lhe espaço para viver os momentos em pleno, sem cameras ou paus de selfie. Não interrompea uma brincadeira para pedir uma pose. O mesmo com o “dá lá um beijinho ao avô” que eu quero eu filmar. E, claro, os míticos vídeos, com crianças a serem filmadas enquanto são castigadas. Não será isso um pouco confuso? É suposto fazer contacto visual com quem? Com quê?

 

Novamente, as redes sociais, os blogues e a Internet são coisas fixes. É um mundo do caraças e ainda com tanto por explorar. No entanto, pais e mães deste mundo, sosseguem o periquito e deixem os putos SER. E respeitem-nos.

Há pessoas que não gostam de viajar

12.12.16

viajar.jpg

(e eu ainda estou em choque!)

 

Hora de almoço e uma colega toda tristonha a contar as tristezas da vida. Tudo porque no próximo ano tem o casamento da irmã nos Estados Unidos e o namorado não quer ir. Porquê? Parece que o moço não gosta de viajar. Todo o processo é, para ele, motivo de ansiedade. Só de ter de escolher um destino, já que fica nervoso e a ideia de ter de planear algo, dá-lhe comichões. Ele não gosta de viajar e ponto final. Não é que tenha medo de andar de avião, não tenha dinheiro ou ... eu sei lá! Diz, a minha colega, que ele é muito stressado e vive muito para o trabalho.  Ela já se resignou e inclusive faz férias sem ele.

 

Ok, bla bla somos todos diferentes; muito certo que há que saber respeitar os outros; mimimi e cada um sabe de si, mas como é que alguém não gosta de viajar?!

 

Eu sou tão feliz quando viajo, sou tão melhor pessoa: mais leve, mais relaxada, mais aberta, mais paciente e tolerante. A sério, eu gosto bem mais de mim quando viajo. Sou mais activa, mais motivada e cheia de energia.

Cronologia das festas

08.12.16

Novembro

meme-christmas-35602535-460-371.jpg

 

1 de Novembro: Epa! Em menos de dois meses é Natal!

5 de Novembro: Que exagero! Ainda falta tanto para o Natal e as lojas já estão todas decoradas!

24 de Novembro: Não entendo esta gente, a um mês de Natal e já têm a árvore montada!

27 de Novembro: Nunca mais chega de Dezembro! Nunca mais chega o Natal!

28 de Novembro: Acaba Novembro, acaba!

 

Dezembro

 

1 de Dezembro: Não tarda é Natal!

3 de Dezembro: Este ano será diferente, este ano vou comprar todas as prendas antecipadamente. Para a semana compro tudo!

8 de Dezembro: Que linda a minha árvore! Vou comprar umas luzes e decorar a varanda também! 

13 de Dezembro: Bem, tenho mesmo que tratar das prendas.

18 de Dezembro: Este ano combinei com a família e vamos só oferecer uma lembrança. Prendas simbólicas e já está. Presentes de Natal só para os putos. Afinal, o Natal é das crianças.

21 de Dezembro: Epa, estou farinha do Natal! Não há paciência! Que consumismo exagerado! Já para não falar da hipocrisia. Raios! Todos os anos a mesma coisa!

 

 

24 de Dezembro

 

17h00: Cum-raio que faz esta gente toda no centro comercial? E ainda dizem que não há crises! Os portugueses e a mania de deixar tudo para o fim! Por isso é que Portugal está como está! E eu ainda tenho que ir fazer as rabanadas!

22h00: Rabanadas! Sonhos! Tronco de Natal! Pão-de-ló! Esticas! Pudim! Leite creme! Arroz doce! Sonhos! Broinhas! Azevias!

 

 

25 de Dezembro

24h20: Outra vez umas meias! Que raios é que eu vou fazer com o pijama da Primark? Se me dessem era dinheiro... Sacana da tia, tinha que dar um presente melhor que toda a gente! 

16h00: Que exagero de comida! Vou rebentar! Não posso mais! Oh, só mais uma rabanada. Em 2017 começo a dieta.

 

 

26 de Dezembro

15h00: Vou aproveitar e ir ao centro comercial trocar o casaco, de certeza que hoje não está ninguém. Meia hora e venho-me embora.

15h40: Onde é que está a crise neste país? Veio tudo para aqui gastar o dinheiro do Natal! É por isso que este país está como está! Credo!

15h43: Deixa-me cá espreitar as promoções.

20h00: Os saldos estão cada vez piores! Não há nada que se aproveite... e que descontos são aqueles?

 

29 de Dezembro: E tu, onde é que vais passar o Ano Novo?

30 de Dezembro: Este ano quero uma Passagem mais tranquila, nada dos exageros do ano passado. Eu quero é saúde... e um trabalho melhor, mais dinheiro, um amor, uma viagem, uma casa e carro novo, também não seria nada mau! Ah, 2017 vou começar a ir todos os dias ao ginásio. Zumba aí vou eu!

31 de Dezembro: Vai ser cá uma jantarada! Um brinde a isso! Anda, enche o copo, pá!

 

2017

1 de Janeiro: Que ressaca! Vamos ao MacDonalds?

 

 

 

Turismo parvo ou ser servido por uma pessoa negra vestida de escrava

06.12.16

Sabem aquelas notícias que nos fazem pensar “Fodeu! Vamos e deixamos este mundo?" Esta é UMA delas. A sério, onde anda o bom senso?

No Brasil, não muito longe do Rio de Janeiro, no Vale do Paraíba fluminense, há uma fazenda aberta a turistas que querem brincar à escravatura. Mas calma, porque a ideia não é brincar aos escravos, mas sim aos brancos, donos de fazenda que os escravizavam. No pacote, vem incluido uma tour feita pela dona da fazenda, vestida à época, que tem consigo duas senhoras negras que, diz ela, interpretam duas escravas negras e, claro, servem os visitantes e recebem ordens!

 

Não ao mesmo nível, mas igualmente parvo, só quando estava eu em Auschwitz, um dos maiores campos de concentração no sul da Polónia, quando na câmara de gás (onde os visitantes podem entrar para visitar) um guia, que acompanhava um grupo, começou a fechar a porta. Dizia ele que era “para as pessoas sentirem o mesmo que as vítimas”!

 

Epah!! A sério? Não me lixem!

Pág. 3/3