Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens.

O Kurt

10.04.15 | Maria vai com todos


Eu devia ter uns 12/13 anos quando vi um poster igual ao da imagem acima.
Na altura, ainda achava (ainda acho!) as Spice Girls espectaculares. Adorava toda aquela história do girl power e que uma gaja pudesse ser o que quisesse, vestir o que quisesse, dar pontapés e ser mulher. Não faziam falta homens, costas direitas ou vestidos: sê tu mesma! Aquilo era do caraças!

Bem, adiante!
Quando vi a imagem, já o Kurt Cobain tinha morrido há uns cinco anos. Eu não sabia nem o nome do rapaz, achei que era só um moço bonito, nem nunca tinha ouvido falar nos Nirvana! Houve qualquer coisa na imagem que me cativou, não era a beleza ou a barba, era o olhar. Um olhar meio perdido, meio vazio, meio...
Foi assim que descobri o Kurt Cobain e depois os Nirvana. Na altura impressionou-me como alguém que não me conhecia, podia saber tanto de mim. Os Nirvana sabiam o que me ia na alma, sabiam o que eu sentiam e até cantavam os meus sentimentos mais íntimos.

Foi também uma porta para outras bandas e a partir de aí, tudo mudou. Adeus Spice!

Quero mesmo ver isto!
allowfullscreen>

Vais viajar (sozinh@) para a Tailândia?

07.04.15 | Maria vai com todos
Pai, note da Tailândia 


Nunca vais viajar sozinh@
Sim, podes (e deves) ir sozinho, mas nunca estarás de facto sozinho! São centenas (milhares) os mochileiros no sudeste asiático. E posso assegurar-te, vai chegar aquele momento em que vais mesmo querer estar um pouco sozinh@, isso dificilmente vai acontecer.


Ai a comida pica. A comida é boa? Aquilo é limpinho? Eu gosto é de picante!
Amigo, na Tailândia, como em qualquer país, as pessoas nascem, crescem, algumas reproduzem-se e morrem. Milhões de tailandeses estão vivos e de boa saúde e muitos bem alimentados. 
A comida é óptima. Como é um país muito turístico, por norma, a comida é servida ajustada e a pensar no paladar ocidental. Isto é, com pouco picante. Ora, pouco picante tailandês, não significa pouco picante em "ocidentês"| Pode simplesmente significar que é menos picante do que aquilo que um Thai comeria. Por isso, não te armes em herói e vai com calma! Muitos restaurantes de rua, têm o picante na banquinha, assim cada um que se responsabilize por si mesmo.
E sim, é limpinho, até porque o que os olhos não veem... 


E baratas, eles comem baratas?
Ninguém come isso na Tailândia, os dois sítios em que vi isso à venda, era claramente para satisfazer (e sacar dinheiro aos) turistas.
Se antes comiam? Bem, houve uma guerra, as pessoas passavam fome e um gafanhoto sempre é mais nutritivo que ar. São crocantes, nada de especial.


"Massage, massage, massage."
Yes, do it. Bartas e boas.

 
Monges almoçando em Chiang Mai

"Pad thai, pad thai, pad thai"
Yes, eat it.
Esquece os restaurantes de luxo e come na rua, em tolhas de plásticos e mesas montadas nos passeios, apoiadas em tijolos.


Cerveja com gelo?
O processo é: franzir o sobrolho, rir e deitar o gelo fora. Assim que deitar o gelo fora, você vai perceber a falta que o gelo faz na cerveja. O calor é tanto, que a cerveja fica logo morta! Por isso, deixe o gelo ficar no copo enquanto bebes a tua Chang (marca de cerveja, que significa elefante, que é a Super Bock lá do sítio).


Hierarquia de respeitos: Buda e logo depois o Rei.
Contenha as suas perguntas, seja respeitoso e educado quando fala destes temas. O rei e a rainha são velhos e as fotos dos dois jovens estão por todo o lado, com os dois bem jovens.


Buda deitado, Buda de pé, Buda de lado, Buda rezando.
Escolha-os bem. Há tempos onde você pode falar com os budinhas (monges) e ajudá-los a praticar o inglês - na Tailândia são mais relaxados e conversas entre monges e mulheres são comuns, mas no caso de seres menina e ignorada por um monge, é natural! Nós temos o poder de os fazer cair na tentação e desviá-los da vida casta. Há templos que funcionam como escolas e onde se pode apreciar a "rotina" dos estudantes, etc. 
Os templos são lindos, mas depois de ver alguns, os outros são muito parecidos.


Ko Pha Ngan

Sim, as praias são lindas e o mar é mesmo daquela cor.
Nem o photoshop é tão bom! 

Família em Pai

O Norte vale a pena?
O Norte apesar de menos explorado recomenda-se ou eu recomendo vivamente. Há vários treckings e deportos que se podem praticar pelas montanhas. E ir à selva é algo único! Para um brasileiro ou peruano será um pouco mais do mesmo, mas um europeu, por exemplo, não ficará certamente indiferente.


As agências valem a pena?
Eu acho que sim. Deixam-nos mesmo no local e acaba por compensar financeiramente. Por exemplo, em Bangkok, uma cidade enorme e com um trânsito do demo, só ir comprar o bilhete pode ficar dispendioso - ir de táxi, horas de trânsito, etc, já para não falar de todo o stress. Aconselho a procurar várias agências e a regatear os preços. Apesar das 145 agências todas pertencem ao mesmo dono, mas conseguir uma baixa de preço é sempre possível.

Elephant Nature Park, Chiang Mai

Eu quero andar de elefante!
Mesmo? Aconselho-te a veres ESTE vídeo. A exploração e violência contra os animais é uma realidade. Escolhe bem onde ir, faz escolhas inteligentes e socialmente responsáveis. No que toca a elefantes, eu recomendo vivamente o Elephant Nature Park, eu fui muito feliz aqui e acho que é um projecto que merece ser apoiado.


Crianças...
Vamos lá ver uma coisa, crianças devem estar na escola e não a vender coisas, certo? Vamos lá ser fortes e evitar dar dinheiro, esmolas, comprar, enfim, tudo o que implique dar dinheiro a um menor. Sim, esse dinheiro fará diferença para a família, mas enquanto "isso" funcionar, a família usará a criança como meio de subsistência e não a mandará à escola, impedindo-a de conseguir um futuro melhor.


Sorrir e muita calma "naquela hora"!
Não e à toa, que a Tailândia é o país dos sorrisos! Os tailandeses sorriem muito e são sempre amigáveis. Gritos ou gestps bruscos são coisas desconhecidas e sem nexo. Vai haver coisas que não funcionam, horários que não se cumprem, desentendimentos, mas amig@ muita calma nessa hora, estás na Tailândia!

Fui às compras! Ou melhor, fui ver lojas e constatei que:

07.04.15 | Maria vai com todos
- Nesta Primavera/Verão seremos todos hippies, com estampados e franjas.

- Na Pull estão um pouco confusos e à entrada tinham uma colecção com a temática marinheiro.

- Deve ser porque quase todas as lojas pertencerem ao mesmo grupo (Inditex), mas acho bonito ver calças com o mesmo padrão de um vestido que comprei há dois anos ou #souBuéDeVisionária

- Agora a sério, alguém cabe na roupa da Bershka? Alguém?

- Os saldos já passaram? Se sim, agora são outra vez promoções?

- O Mercado de Fuencarral tem os mesmos vestidos fofinhos das lojas dos chineses, mas custam três vezes mais.

- Se os chineses arrumassem melhor as lojas, aumentavam a clientela.

e é isto, bem-hajam!

Viajar para ver pobres

06.04.15 | Maria vai com todos

Recentemente, uma amiga dizia-me que ia fazer uma viagem. Boa, boa e onde?
Ela pensou em Cabo Verde, porque tinha vontade de simplicidade, de um sítio sem consumo e pobreza.

Oi?
Para ver pobres, não é preciso sair nem do bairro.
Além disso, os conceitos de pobreza e de bem-estar são relativos de país para país. Conheci muita gente, com uma casa só de cimento, que no país deles, são mais ricos do que eu. Simplesmente as prioridades financeiras são outras.


Entendo a vontade de ser solidário enquanto se viaja, assim como a vontade de saber mais sobre o modo de vida das pessoas do lugar e sem dúvida que há várias formas de o fazer, aqui ficam umas dicas:

FAZER VOLUNTARIADO DURANTE A VIAGEM
Contatar instituições locais e perguntar se podem passar uma tarde ou até dias. Perguntar o que necessitam - apesar de dinheiro ser sempre a principal carência.

APADRINHAR ONG's LOCAIS

OPTAR POR ALOJAMENTO LOCAL
Em vez de um grande resort, hotel de mil estrelas, etc., por que não um alojamento local? Procurar uma casa de família ou de turismo rural e ficar com eles?

EXPLORAR PELO PRÓPRIO PÉ
Em vez de se ficar preso ao programa da agência, agarrar nas perninhas e fazer-se à vida. Comer em restaurantes locais, contratar guias e explorar rotas fora das agências.

EVITAR COMPRAR COISAS A CRIANÇAS
Eu sei que isto é muito difícil de fazer e de resistir, mas o lugar de crianças é na escola. Nenhum país do mundo apoia legal e formalmente o trabalho infantil. A idade para trabalhar, até pode variar, mas crianças deverão estar na escola. Ao estarmos a comprar algo a uma criança, podemos estar a ajudar para a sua situação financeira e da sua família, mas não estamos a contribuir para que esta criança vá para a escola, que estude e que consiga um futuro melhor.
Enquanto aquela criança continuar a chegar a casa com dinheiro, ela continuará a trabalhar para a família. Assim como os seus irmãos e os filhos dos vizinhos.

O mesmo com ANIMAIS
Enquanto se continuar a dar moedinha aos macaquinhos na rua e a pagar excursões de elefantes, os donos continuarão a fazê-lo. Elefantes, macacos, tigres, etc. são animais selvagens, não dão a patinha, nem pintam quadros. O preços desta domesticação é feito através de GRANDE violência para o animal. Há sempre ONG's que trabalham para consciencializar para os direitos dos animais, por isso, vamos lá ser mais responsáveis nas escolhas de agências e de parques naturais. Óbvio que nem todos são maus, mas nada melhor do que estar bem informado e fazer escolhas conscientes nas viagens.

INTERCÂMBIO
Quando viajamos, não somos só nós que ganhamos na troca de vivências e experiências. Explique ao seu guia que não concorda com passeios de elefantes e explique-lhe a razão, fundamentando a sua opinião. Diga ao seu condutor, o porquê de não deitar garrafas de água vazias pela janela do carro, etc., etc. O mundo é nosso! A responsabilidade é de todos!