Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Vivendo fora, estas são as coisas das quais sinto mais saudades de Portugal*

Um café e uma esplanada

Sabem aquele cafezinho, depois de almoço, numa esplanada ao ar livre e com o sol a bater cara?! Quando penso em Portugal, é esta a memória mais forte que tenho e nessa minha memória, é Inverno! Nada bate um sol de inverno.

 

O croissant de queijo (branquinho) e um Compal

cms-image-000002669.jpg

Sobretudo se for um croissant do Arco Íris, a pastelaria junto à Estação de Coimbra A. E quem diz os croissants do Arco Íris, diz os Pastéis de Belém dos Pasteis de Belém, os Palmiers da Vénus, o Pão de Deus da Padaria Portuguesa, o pão da Vasco da Gama e a broa da Padaria Pão Quente.

  

Sopinha

Há lá coisa melhor do que uma pessoa andar aos papeis, sem saber o que comer e entrar num sítio qualquer e pagar menos de 2 euros por uma sopinha, assim, só numa de despachar?! 

 

A menina

Se há coisa que enche o meu coração cheio de ternura é ouvir, em Portugal, alguém a tratar-me por “menina”. “A menina quer…?”, “A menina precisa…?”; “A menina vai…!” e acho mesmo fofinho, quando se fala da Menina Ana, mesmo que ela já tenha 70 anos. A menina (eu) gosta muito.

  

As livrarias

Longe de mim armar-me em pseudo-intelectual, que lê muito, mas fazem-me falta. Sempre gostei de entrar, nem que fosse por uns 15 minutos e ver o que há de novo e de velho e ainda dar uma olhadela nas primeiras páginas dos jornais e desfolhar revistas.

  

O sol

Ok, que há dias cinzentos. Sim, eu sei que chove. E em Portugal faz um friozinho do caralhinho, continua a ser o país onde sinto mais frio - e eu já vivi na Letónia, com - 25 graus! Mas em Portugal há mais probabilidades de sol e mesmo quando a chuva não para, há uma brechinha, um raio. Um arco-íris.

 

O teatro

Sempre fui uma pessoa teatreira, hábito que perdi fora de Portugal - pela língua, por não me identificar com os projectos, pelo tipo de humor, por simples desconhecimento e ignorância. Faz falta!

 

O oceano está à esquerda

Eu sou uma naba com o norte e o sul, são conceitos que não me fazem sentido e mapas são, para mim, um mistério. Em Portugal, sei que o oceano está à esquerda… e, assim, se faz a coisa.

 

 

*Obviamente que amigos e família estão em primeiríssimo lugar

20 comentários

Comentar post