Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Ter arma no Japão vs ter arma nos EUA

170.jpg

Conheço pouca gente, para não dizer ninguém, que defenda o porte de arma ou que ache sequer que ter armas em casa é uma boa ideia. Cheguei a viver com uma texana e nem mesmo ela que aos 18 anos tinha recebido uma espingarda de presente (sem comentários), me conseguia explicar esta obsessão americanos e a ideia de que precisam de ter armas para se protegerem. 

Obviamente que a industria do armamento contribuiu muito para a coisa, o lobby é fortíssimo e um negócio ainda maior! E nem só de petróleo vivem e se financiam guerras. Todavia, parece-me, que nos EUA a coisa se estende ao cidadão comum, sendo defendido por muitos. Esta foi uma luta perdida por Obama e por outros presidentes americanos.

 

Em 2016, as armas de fogo nos Estados Unidos mataram mais de 33 mil pessoas nos EUAe seis no Japão. Ok, a população do Japão é menor, mas se falamos em percentagens, isso significa nem 1% de mortes por armas de fogo no Japão. Incrível. Brilhante.

Estive a ler mais sobre o tema e parece que no Japão é bem difícil conseguir uma licença para ter uma arma em casa. Fora as burocracias comuns, ainda têm que passar por uma serie de avaliações psicológicas e ter pelo menos de 95% num teste. Mais, o escrutínio é tanto, que se estende à família e colegas de trabalho da pessoa que pede a licença. E mesmo depois de terem a arma, a respectiva licença pode-lhes ser retiradas pelas autoridades a qualquer momento. Por exemplo, imaginem que a filha mais nova do senhor Hiroshi morre. Arma retirada. Ou que a senhora Hinata perde o emprego. Arma retirada. Japão bem.

6 comentários

Comentar post