Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Sim, eu sou branca. Agora deslarguem-me!

Captura de ecrã 2017-07-31, às 09.06.20.png

 

Todos os anos sofro (sim, eu sofro, sou uma vítima!) do mesmo mal. Comentários frescos e fofos sobre “o quão branca” estou, sobre “a cor estranha das minhas pernas” e, há sempre os ousados deste mundo, que querem mesmo saber “se está tudo bem" e um "não seria melhor ir ao médico!”

 

Para começar pessoas: eu não sou branca. Eu sou cor-de-rosa. Um rosinha pálido, que varia entre a cor do Babe e a de um leitãozinho fofo - e vivo! É a minha cor, sempre fui assim: um branco bem rosado. Os meus amigos brincavam com as minhas pernas, porque bastava apertar um bocadinho para o rosa passar a branco e segundos depois voltar ao rosa - isto, se apertarem com jeitinho, pois um pouco mais de força e a coisa vira nódoa negra.

Só fiquei uma vez, mais ou menos morena (sim, uma vez!) e foram precisos 2 meses pelo Sudeste Asiático, para atingir tal façanha - e, admito, estava jeitosa! Mesmo assim, quando regressei, tinha amigos que com uma semana de praia estavam bem melhores do que eu!

 

Ser cor-de-rosa, significa também que negro, roxo, castanho são cores comuns em mim - sobretudo nas pernas. Primeiro, porque facilmente fico com negra, não fazendo falta apanhar uma carga de pancada para chegar a esse arco-íris. E digo primeiro, porque fosse eu uma pessoa mais decente e teria bem menos negras, mas não sou. Sou pessoa de cabeça na lua, despistada, trapalhona e com tendência a ir contra as coisas. Sim, esta sou eu - e, sim, sou eu a minha pior inimiga.

 

Ora:

Se eu já aprendi a viver com tudo isto.

Seu eu até ando com as pernas de fora.

Se já me informei, medicamente falando, sobre a linda cor rosa que brilha nas minhas pernas.

Se sei que 97% das negras que tenho são da minha inteira responsabilidade.

Se…

Por que raio que todos os Verões têm vir as almas do costume dizer-me que sou muito branquinha?! 

Como se eu em mais de 30 anos de vida não o soubesse. A sério, pessoas, eu sei. Não se cansem. Não faz falta. Eu tenho espelhos. Eu visto-me e tomo banho todos os dias. Será que alguém está mesmo à espera que me justifique, que me surpreenda com a noticia ou monte uma escandaleira :

“- EUUUUUU??? EUUU?? Eu branca? Impossível! Calúnias! Eu sou morena. Uma morenaça! Estou ali entre a pele de cenoura que sai do forno e a sensualidade de um moreno de solário! Como se atrevem, logo eu, eu que sou morena do pedaço!”

Para que uma pessoa está guardada! E todos os anos!

16 comentários

Comentar post