Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Pessoas que não deviam andar de transportes públicos

Aliás, como eu sou uma pessoa muito inclusiva, o verdadeiro título deveria ser "Pessoas que não deviam andar de transportes públicos em hora de ponta".

Acabo de passar 20 minutos feito sardinha no metro ("Mas oh Maria, tu não andavas de bicicleta em Berlim?" perguntam vocês sagazmente e eu respondo "Andava, sim; mas desde ontem que quase cuspi um pulmão com o frio, que me resignei ao quente do metro!). Dizia eu, hoje vim de metro e em hora de ponta, ou seja, já se pode imaginar: metro CHEIO! E foi-me calhar, uma daquelas miúdas com o cabelo quase até ao cu, que veio toda a viagem a roçar-se em mim - o cabelo, não a cachopa! Era nas mãos, no livro,... eu bem o afastava, mas em vão. Ainda tentei virar-me para o outro lado, mas o cabelo insitia e, claro, sorte das sortes, as vistas davam para o belo espectáculo, que incluía um casal a ponto de cupular! E foi assim, enquanto pensava em cortar o cabelo às tesouradas da catraia e um show gratuito de porno, que me lembrei deste belíssimo post, e cheio de utilidade pública, para quem viaja de transportes públicos em Lisboa ou por essa Europa fora. Se isto não merece uma petição e uma discussão na Assembleia da República, nada mais merece! Cá vamos à lista!

 

(Obviamente) gente de cabelo comprido

cabelo.png

E se tiverem pontas espigadas, deveriam ser sujeitas a um castigo ainda maior! Raios partam essa gente de cabelo indomável, pá! Amarrem-no! Ninguém tem que levar com o vosso cabelo enquanto viaja!

 

 

Pessoas que cortam as unhas. Pessoas que roem as unhas.

Sinceramente, não vejo uma grande diferença entre uma coisa e outra. Eu vivo bem com gente que se maquilha no metro, acho uma arte e admiro-lhes o talento e a precisão. Passageiros que comem (desde que não sejam sardinhas), também não me apoquentam! Já gente que deixa cair unhas, sejam elas via corta-unhas ou fruto de uma cuspidela, é gente que não me cai no goto. 

 

 

Casais na marmelada

Há lá pior do que ter de ver a troca de saliva alheia?! Não falo de umas beijocas, nem de abracinhos - eu sou uma alma que gosta do amor! Mas casais com fome e ávidos na troca de fluidos, deixam-me angustiada. Fico sempre com medo de que aquela gente se esqueça de respirar.

 

 

Passageiros que ouvem MÁ música aos berros

Primeiro ponto, os japoneses (acho) inventaram os phones: usem-nos. Depois, nunca percebo, porque raio é que as pessoas que põem música para todos ouvir, são sempre pessoas com mau gosto musical. Acham que haverá alguma relação?

 

 

Gente que experimente os toques de telemóvel

Juro, juro, juro... não tenha paciência e esta é daquelas que me faz fazer cara de mau olhado. Quando vivia em Portugal, apanhava frequentemente um autocarro junto à Vodafone. Não havia semana, em que não houvesse uma alminha que não fosse na viagem de autocarro a testar os toques do bicho novo. Pessoas, FAÇAM-NO EM CASA!

 

Contem-me tudo, esqueci-me de alguém?

20 comentários

Comentar post