Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

O meu primeiro Primeiro de Maio em Berlim

Ich bin ein Berliner

 

Domingo é o Primeiro de Maio - uhuhuhuh aposto que ninguém sabia disto. Mais: é o meu primeiro Primeiro de Maio em Berlim.

Ainda antes de pensar que poderia alguma vez viver aqui, já ouvia falar do 1 de Maio em Berlim. Era quase como o Queen's Day (agora King - ou não?) na Holanda, tipo uma Queima (de um dia) com toque Berliner! Como em todo o mundo, celebra-se também aqui o Dia do Trabalhador. Aqui, com mais alegria, com concertos, festa e comida e bebida na rua, em particular em Kreuzberg, o bairro turco e onde todos querem viver em Berlim. No dia 1 de Maio é também "permitido" aos neonazis, fascistas desta terra sair à rua.

Já houve, noutros anos, batatada, carros queimados e outros mimos que tais. É, dizem, o dia mais ocupado da polícia de Berlim, que escolta, separa e acompanha todos estes protestos.

No domingo será o meu primeiro Primeiro de Maio em Berlim e estou em pulgas para a festa! Custa-me imaginar tanto entusiasmo pela rua, regados com tanto álcool e dança e música... na Alemanha. Ok, que estamos em Berlim, mas continuamos na Alemanha. Inicialmente o plano era um barbacue, mas o sacana do tempo não parece querer contribuir. Assim sendo, brunch reforçado e ala para a festa!

Obviamente que dispenso a parte violenta, mas faltar ao Primeiro de Maio, é como viver em Lisboa e não ir ao Santo António.