Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Madrid me mata e/ou coisas de e/imigrante

Sobre as eleições


Ontem foi um dia muito importante para Espanha e chateia-me que, lendo jornais portugueses, ninguém tenha entendido a dimensão da coisa. Mas eu entendo, até porque apesar de sermos vizinhos não sabemos uns dos outros - eu também não sabia há cinco anos atrás!

Tal como em Portugal,, há dois partidos de "toda la vida" e quando não ganha um, ganha o outro: o PP (tipo PSD) e o PSOE (tipo PS, mas às vezes mais conservador que o Portas). Os partidos em Espanha são como em Portugal, intocáveis, com cheirinho a corrupção e mesmo assim, o "pueblo" vota ora num, ora noutro (a chamada tortilha política), porque o pai era PP, o avô era PP e toda a linha familiar assim o será - sabem o futebol? É tipo isto.

O PP, um bocadinho mais do que o PSOE, tem estado metido em tudo que é escândalo politico -"sobresueldos", o caso Barcenas (o da máfia da imobiliária), o Gurtel, Valencia,as prostitutas e a coca pagas com dinheiro público, a Ley da Mordaza, etc. Vergonha na cara zero e processos em tribunal muito menos.

O PP ganhou, mas perdeu todas as maiorias e, meus amigos eram muitas! O PP tem que governar e prestar contas do que faz e até fazer coligações. Ora que chatice.



Em Barcelona, onde há anos ganhava o partido de Más, esse senhor que poder ter contas limpinhas, mas que cada vez que abre a boca para falar em independência, quase que roça a fronteira da xenofobia, ganhou a fofa da Ada, A Ada é activista social, dessas que é presa pela polícia catalã e que quando gente se atirava pela janela, porque não podiam pagar hipotecas (e aqui em Espanha, a pessoa fica sem casa, mas continua a pagar), criou a Plataforma de Afectados por la Hipoteca e publicou o livro "Vidas Hipotecadas" (download grátis aqui). Ela, em conjunto com outras cidadãos empenhados, conseguiu casa para mais de 2 500 pessoas e impediu que outras 1500 ficassem sem casa.
Esta senhora não quer construir (mais) hotéis, nem privatizar. Ela quer melhorar coisas como os transportes públicos e impedir bancos de despejarem famílias, para depois manterem os apartamentos vazios, entre outras coisas boas.


São coisas como estas que fazem de Manuela outra pessoa importante nesta história!
Uma antiga juíza de 71 anos, que lutou contra a corrupção que existia (existe possivelmente) dentro dos tribunais espanhóis, entre outras coisas. Ela poderá (com coligação) ser a próxima Alcadesa de Madrid e isso significa duas coisas: derrotar a Esperanza Aguirre (a mesma senhora que em plena Gran Via quase atropelou um polícia para não pagar uma multa e que disse que gostava muito dela - referia-se a Sara Mago!) que tem e quer privatizar tudo quanto pode em Madrid e também derrotar o PP em Madrid,  o partido que há quase 30 anos governa com maioria absoluta. Se Manuela ganhar haverá pela primeira vez uma auditoria às contas da cidade (uau) entre outras coisas, como colocar a Igreja a pagar impostos pelo seu património..

Outra coisa que não fica claro na imprensa portuguesa é: o Podemos não perdeu, porque o Podemos não se candidatou. Não tinha candidato. O Podemos apoiou candidatos - entre elas a Ada e a Manuela.

Se isto tudo me deixa feliz? Sim, muito.
É com muita expectativa que vou acompanhar os mandatos destas duas senhoras, até porque ganhar uma coisa e governar é outra - e calma, porque a Manuela ainda não é boss oficialmente! Mas algo novo vem aí e cheira melhor do que o antigo! A ver!

Ada Colau e Manuela Carmena