Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Teste: És privilegiado(a)?

O Buzzfeed Espanha criou este teste espectacular, para medir o grau de privilégio de cada um.

A maior utilidade do teste é pôr-nos a todos a pensar em situações de discriminação que ocorrem diariamente: já alguma vez fui discriminada por ser mulher? Será que a minha religião influencia sobre o que os outros pensam de mim? Devido à minha raça tenho menos opções de trabalho? Alguma vez menti sobre a minha orientação sexual para ser aceite ou evitar problemas? Lido bem com o meu corpo? Aceito a minha personalidade?

Mais do que reflectir sobre possíveis preconceitos, entre outros aspectos da personalidade de cada um, o teste obriga-nos a "pôr-nos nos sapatos dos outros" e a pensar "ah pois, isto acontece" ou "pois, deve ser lixado".

Fiz o meu teste, cujo resultado foi:

 

"¡Tu marcaste 56 de 88 en esta lista!
Tienes bastantes privilegios. Has tenido algún que otro obstáculo en tu vida pero en general ha sido todo bastante fácil. No es malo, tampoco es algo de lo que debas sentirte avergonzados. Pero deberías ser consciente de tus ventajas y trabajar para ayudar a otros que no las tienen. Gracias por comprobar tus privilegios."

 

Nada que eu não soubesse! Eu sou branca e não me venham cá com a história do "não há racismo (em Portugal/na Europa/no mundo", porque só quem não tem amigos negros pode fazer esse tipo de comentários. Mais, sou privilegiada porque tive a sorte de nascer numa família, que mesmo não sendo rica, me possibilitou várias oportunidades, como ir à escola, fazer universidade e até estudar fora do país. E, o que também ajuda muito, sou heterossexual, ou seja, o única armário sempre esteve sem monstros ou fantasmas, nem dúvidas existenciais.


Acho que só não consegui mais pontos, porque me revi em algumas situações de machismo. Muitas, de forma mais extremada ocorreram na minha viagem ao Irão. Siiiiiiiiim, eu sei que há muito machismo em Portugal e no meu prédio de certeza que também. Eu sei que o machismo fere e mata diariamente, mas lá está, eu sou uma privilegiada. Antes sempre que algo acontecia, eu não avaliava a situação, em função do meu género. Pensava apenas "é estúpido!" e seguia caminho, não era tão consciente dessa diferença de género, nem tão sensível ao tema. Cresci. Hoje, mesmo sendo privilegiada, sou mulher e trabalhadora, sei bem o que é ver homens a ganharem mais do que eu e de como é difícil ser levada a sério ou chegar aos 30 e avançar na carreira, porque (já se sabe) podemos parir a qualquer momento!

 

E tu, quanto é que tiveste no teste? Podes fazê-lo AQUI.

2 comentários

Comentar post