Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

As gajas que eu conheço


As gajas que eu conheço gostam de ir ao ginásio. Só não gostam de lá estar.
As gajas que eu conheço podiam passar o dia a comer risotto. Ou pizza. Ou massa. Ou sushi. Ou chocolate. E bom, bom, era se aquilo emagrecesse.
As gajas que eu conheço depilam-se, mas gostam tanto de o fazer como de percevejos na cama.
As gajas que eu conheço vão à cesta da roupa suja quando já não têm meias lavadas.
As gajas que eu conheço davam o dedo mindinho do pé para saber fazer a manicura a elas próprias - aka: pintar as unhas.
As gajas que eu conheço só dizem "nunca mais volto a beber álcool", porque uma ressaca aos 30 (vá 28) já não é o mesmo que era aos 18.
As gajas que eu conheço só estão bem é a laurear a pevide.
As gajas que eu conheço andam preocupadas com o relógio biológico. Parece que o sacana conta em decrescente e elas têm muita coisa para fazer.
(É que) As gajas que eu conheço ainda querem viajar, gastar muito dinheiro em roupa que só vão usar duas vezes e comer fora todos os dias. Bem, pelo menos algumas. Há outras que não têm dinheiro, nem trabalho, nem vontade.
As gajas que eu conheço fazem o amor, mandam quecas e fodem - e às vezes, tudo com o mesmo homem.
As gajas que eu conheço gostam de pinar só por pinar.
As gajas que eu conheço querem homens decididos e que não lhes ofereçam a lua - o que é que uma gaja faz com a  lua, porra?
As gajas que eu conheço querem mandar o patrão à merda e muitos colegas ao caralhinho.
As gajas que eu conheço usam collants, pelo menos uma segunda vez, depois de terem detectado o primeiro buraco.
As gajas que eu conheço acham piada ao gajo que lhes abre a porta, mas pagam a conta a meias.
As gajas que eu conheço não querem ficar parecidas com a mãe, mas mal começam a viver sozinhas notam que são parecidas com a mãe.Socorro!
As gajas que eu conheço não inventam dores de cabeça. Dizem que não e já está.
As gajas que eu conheço são chatas, sabem disso e vivem com isso sem se queixarem.
As gajas que eu conheço são giras e boas, não importam se usam um 34 ou um 44.
(Aliás) As gajas que eu conheço são felizes como são, mas se fossem uma Gisele (ou até uma Jessica Athayde a desfilar) isso não lhes incomodaria nadinha.
As gajas que eu conheço conduzem bem. E ao mesmo tempo, falam ao telemóvel, ajeitam as meias, observam a paisagem e ainda procuram por gajos jeitosos no trânsito.
As gajas que eu conheço não falam mal de outras mulheres. Simplesmente, e quando se justifica, elas falam de forma negativa, mas acertada, sobre várias pessoas.
As gajas que eu conheço não compram a Caras, nem a Nova Gente, ma sempre que botam a mão a uma (nem que seja no dentista) lêem-na até ao fim.

São bem fixes as gajas que eu conheço!

5 comentários

Comentar post