Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

Maria vai com todos

Estórias. Histórias. Pessoas. Sítios. Viagens. Istambul. Riga. Cinco anos em Madrid. E agora Berlim.

7 Dicas de um Portuguesa a viver em Madrid

 
Vi isto na NIT (7 Dicas de um Portuguesa a viver em Toronto) e não resisti a armar-me ao pingarelho e fazer a minha versão madrilena da coisa!
 
 
 
1. Beber Yahoo's na Casa Camacho
A casa Camacho fica no bairro de Malasaña (o Bairro Alto cá da zona), mas é uma tasca à espanhola e que resiste no meio dos "modernos" que se têm vindo a apoderar do bairro. Não há cadeiras, apenas um longo balcão. Para ir à casa-de-banho, há que passar por debaixo da "barra" (traduza-se: balcão) e estão a ver aquele tasco ranhoso de Lisboa, é quase a mesma coisa, mas com papel higiénico.
A decoração são só relíquias: santinhos, garrafas velhas, calendários, frases feitas em azulejos, pratinhos e até um Zé Povinho a negar fiado! 
Ah, agora os Yahoo's, o que são? É uma bebida com vermouth e 7up. Primeiro, estranha-se, depois entranha-se e ao terceiro, amigos, a festa começa.
Morada: Calle Santa Ana, bairro de Malasaña, Madrid
 
 
Rastro
2. Ir ao Rastro
Multipliquem a Feira da Ladra, em Lisboa por três e o resultado é o Rastro. E desenganem-se, pois nem tudo é barato, há muita coisa boa e cara, Sobretudo, quem gosta de mobiliário de design é um espaço a explorar, inclusive as lojas de restauro que há pelo bairro e que abrem neste dia. Também há muita caixinha de bolachas do tempo da avó, bonecas de olhares sinistros, candeeiros fofinhos, cuecas e panelas.
E, claro, depois do Rastro há as "empanadillas" e as "tostadas" XXXL. Tudo com caña, por favor!
Local: La Latina, aos domingos e feriados.
 
 
 
3. Buscon 
Os pratos típicos de Madrid são o Cozido Madrileno (tipo ou nosso, mas com caldo e menos enchidos) ou os Callos (tripas, bah). Eu defendo que experimentar só faz é bem, mas agora passemos à parte do comer bem.
E nada melhor do que um bom e simpático e barato restaurante, bem no centro de Madrid - já disse que era muito bom? - o Buscon e comer: rabo de touro (delícia); gambas grelhadas (as melhores); "huevos rotos con jamón" (batatas fritas, com ovos estrelados e presunto); "pimientos padrón" ("unos pican y otros no"!).
Os empregados são super simpáticos, oferecem coisas, até à meia-noite há sempre gente a entrar para comer e o ambiente é bem espanhol, com muita festa e alegria.
Ah e tentem ir jantar depois das 21h00, antes disso, só mesmo os ingleses de meia branca!
Local: Calle Victoria, 5
 
 
 
Retiro
4. Retiro 
Aliás, Real Parque del Retiro! Não é o maior, mas é o mais carismático parque da cidade, não só pelo Lago, mas também pela casa de Velasquez ou o Palácio de Critsal. Muito verde, há zonas onde nos esquecemos que estamos no meio da cidade. Dá para ficarmos deitados na relva, dormir, pôr os pés de fora, namorar ou ir com amigos, beber umas cervejas e comer cerejas. E, claro, uma siesta
Dá também para correr, andar de bicicleta ou patins (muito popular, por aqui), andar de barco, assistir a espectáculos de rua, enfim: o Retiro é um mundo.
Local: perto da Puerta del Alcalá
 
 

5. Tabacalera

Há muitos espaços culturais em Madrid que devem ser visitados, como a Caixa Forum, a Casa Encendida ou o Matadero (sobretudo este último, pelo espaço). 
ATabacalera é uma antiga fábrica de tabaco, no bairro Embajadores e que foi sendo ocupada, criando um espaço com muitos workshops (pintura, dança, capoeira, línguas, etc.), que aos poucos foi sendo adaptado e recuperado pela comunidade. É um espaço auto-gestionado, aberto à comunidade e feito por ela, com lojinhas, hortas, onde por vezes, há cinema e concertos. O espaço ainda tem muito até trabalho pela frente, mas vale a pena uma visita, nem que não seja, pelos muitos (e bons) grafitis que existem.
Local: Calle Embajadores 53 
 
 
 
6. COMER
Preity Raj Restaurante
Bem, na verdade, pode ser qualquer restaurante indiano na calle Lavapiés ou na calle Ave Maria 
Ambas as ruas ficam no bairro Lavapies, bairro multicultural, onde tão depressa se organiza um Tapapies como um  Festival Bollywood - Lavapiés mola e só para terem uma desculpa para virem cá, eu reocmendo este restaurante! São muitos os restaurantes indianos pelo bairro e (ainda melhor) com esplanada. Eu, que já tenho um "novio" indiano, recomendo vivamente o Preity Raj: bom serviço, esplanada, com sombra e empregados simpáticos (ups, repeti-me? É que gosto mesmo deles e do bairro!)
Local: Preity Raj Restaurante, Calle Ave Maria 29
(o nome é lindo, não é?)
 
Museo del Jamón
Amigos, esqueçam o MacDonalds ou o que seja. Em caso de ressaca, vontade de um lanchinho, falta de dinheiro ou simplesmente por prazer, o Museu del Jamón é do melhor que há. Está em todo o lado e tendo em conta o preço, a comida é óptima. E tem 745 mil presuntos pendurados!
Eu recomendo-o para um lanche, pois não há nada melhor que um Pan con tomate. Uma boa fatia de pão, com tomate triturado e presunto. Acreditem, os sabores mais simples são os que mais surpreendem e este é o melhor lanche de Madrid, olé! Vá, as migas também são boas!
Local: é uma cadeia. Estão em todo o lado (viva!)
 
 
7. Museus
Sim, Madrid é rua, festa, sol, mas Madrid também tem dos melhores museus europeus. 
O Prado é incrível, sobretudo pela sala de Goya. O Reina Sofia vale a pena não só pelas colecções, como também pelo espaço lindo-lindo - e, claro, o Guernica. Depois há, a Fundação Theyssen que é uma colecção privada realmente incrível.
Quem vive em Madrid, vais aos museus quando chove, mas quem visita a cidade terá mesmo que prescindir de um pouco de sol... E nada de desculpas do "ai que é caro", basta consultar os horários, que todos têm horários gratuitos e descontos simpáticos. Morrer sem ver um Goya, uma Guernica ou um quadro de Bosch tem que ser pecado e é daquelas coisas, que nem uma imagem do Google em alta reprodução consegue compensar.